19 setembro 2008

UEFA: BRACARA LEGION - Braga 4-0 Artmedia

18 setembro 2008

Académica: MANCHA NEGRA - Comunicado


Comunicado


A comissão instaladora da Associação Ultra Mancha Negra Boys vem por este meio comunicar a auto-suspensão temporária das actividades do grupo, uma vez que não estão reunidas as condições para o desenvolvimento das mesmas.

Está convocada para o próximo dia 24 de Setembro, pelas 20h30 no auditório do Estádio Cidade de Coimbra, uma reunião de sócios e simpatizantes da Mancha Negra, para discutir a actual e futura situação do grupo.

Lamentamos, desde já, que as recentes divergências com a Direcção da AAC-oaf nos tenham obrigado a esta situação extrema e única em 23 anos de história.

Para terminar, não podemos deixar de desejar os maiores sucessos desportivos às equipas de Futsal e de Futebol da Associação Académica de Coimbra-OAF.


Saudações Académicas

João Paulo Fernandes
Roger Sousa




Fonte: Mancha Negra


Mancha Negra vai fazer «greve» ao jogo com o V. Setúbal... Ler Mais


Mancha Negra foi explicar greve a Domingos... Ler Mais

17 setembro 2008

FC Porto: SUPER DRAGÕES - Entrevista de Fernando Madureira ao "O Primeiro de Janeiro"





Líder dos Super Dragões sente que o seu trabalho tem sido positivo


'Não estou preocupado com as eleições '


A pouco mais de um ano das primeiras eleições nos Super Dragões, o líder da claque considera que a campanha se faz dia-a-dia.

A legalização das claques portuguesas trouxe muitas interrogações aos membros que já faziam parte das mesmas e aos que queriam entrar, pela primeira vez, nesse apoio em grupo aos respectivos clubes. Dado esse passo, os Super Dragões (SD) passaram a ser a maior claque em Portugal e a quarta maior do Mundo – as três principais são da América Latina –, mesmo tendo havido alguma desconfiança entre os associados. 'Neste momento, temos cerca de 2300 membros nos Super Dragões. Ao início olharam com alguma desconfiança para as inscrições, uma vez que esses dados pessoais são enviados para o CNVD, mas fiz-lhes ver que era a maneira da claque avançar para a legalização. Esperamos ter até 2500 até ao final do ano, apesar de já termos tido entre 2003 e 2004 entre 4000 e 5000 membros', afirmou, a O PRIMEIRO DE JANEIRO, Fernando Madureira, líder da claque «azul e branca». 'Passamos a estar dentro da lei para termos o apoio do Futebol Clube do Porto. É uma forma de proteger o clube para que um dia não nos atirem mais uma pedra', acrescentou. A legalização das claques traz, entre muitas novidades, a realização de eleições, acontecimento único e democrático nos SD que se irá realizar em Dezembro de 2009. «Macaco», como é conhecido, não está preocupado com o acto eleitoral, nem com a possibilidade de surgirem outras candidaturas: 'Não vai ser preciso fazer campanha ao longo da época, a minha campanha é o trabalho que desenvolvo dia-a-dia. Não estou preocupado com as eleições', Rui Teixeira, antigo líder da claque, que já se assumiu publicamente como crítico à legalização da claque e à forma como «Macaco» está a gerir os SD, poderá ser um candidato ao acto eleitoral. Fernando Madureira diz que 'Deus não agrada a todos', e reafirma o apoio maciço que tem do seu lado: 'O Rui Teixeira até pode ter uma minoria, mas eu tenho mais de 90 por cento de pessoas que estão contentes com o meu trabalho', O FC Porto inicia hoje, no Estádio do Dragão, a participação na Liga dos Campeões, frente à equipa turca do Fenerbahçe. Maçado considera que 'é importante entrar com o pé direito na competição', 'Vamos ter 50 bandeiras gigantes a apoiar a equipa', concluiu o líder dos Super Dragões. Fernando Madureira.

Líder dos Super Dragões acredita que a legalização da claque é uma forma de proteger o clube



Europa

Projecção com troca de informações A projecção internacional do clube, presente nas grandes competições europeias, deu possibilidade aos Super Dragões de terem alguns contactos internacionais que permitiram a troca de informações, resultando num melhor conhecimento da forma como as grandes claques de outros clubes europeus apoiavam os seus clubes. As coreografias foram melhoradas.


Material

Qualidade e diversidade nas curvas Também o material usado para incentivar a equipa foi melhorado ao longo dos anos. As apresentações nas curvas dos estádios portugueses e europeus foi acompanhada pela qualidade e diversidade do mesmo que os SD passaram a disponibilizar aos seus membros, embora muitas vezes o Colectivo, outra claque de apoio do FC Porto, suplanta a coreografia dos SD.


Fonte: "O primeiro de Janeiro"

Lei 16/2004: DS - Antropólogo prestes a concluir doutoramento sobre claques




Antropólogo Daniel Seabra prestes a concluir doutoramento sobre claques


'Não mudou nada com a legalização'


A legalização das claques não trouxe grandes alterações. O «especialista» Daniel Seabra diz que se trata de uma decisão 'formal',

O antropólogo Daniel Seabra, que fez um fez um mestrado sobre os Super Dragões e está prestes a finalizar o doutoramento sobre claques, refere, O PRIMEIRO DE JANEIRO, que 'nada mudou', de uma forma geral, 'com a legalização das claques', 'A legalização tem apenas um carácter formal. Se tiverem que existir problemas, existem', referiu.
O ditado diz que «quem não deve, não teme», mas, segundo Daniel Seabra, corre-se o risco de haver 'identificações arbitrárias a quem não comete incidentes', E deixa a pergunta no ar: 'Será que nunca houve elementos das claques que chegaram a ser identificados quando nem sequer estavam no local?', Em muitos casos isso acontece, com a necessidade das autoridades policiais de «mostrarem serviço» e números para a opinião pública.
As claques de futebol tiveram de se legalizar junto do Conselho Nacional contra a Violência no Desporto (CNVD). Os dados pessoais de cada membro são do conhecimento deste organismo. Contudo, são muitas as dúvidas que pairam sobre a lei n.º 16/2004 de 11 de Maio. Como se pode provar que os elementos que estão na claque estão devidamente inscritos na base de dados do CNVD? Não é garantido que os nomes dos elementos comunicados à CNVD sejam membros activos e regulares no seio da claque. 'Há inscritos que pagam as suas quotas que nunca aparecem e há aqueles que não estão inscritos que estão lá. Isto é extensivo a todas as claques portuguesas. A base de dados pode não corresponder à realidade', explicou o antropólogo.
'A lei sobre as claques é um mero procedimento formal que permite aos clubes apoiar as claques sem se ser punido por isso', adiantou.
Outra questão em cima da mesa é se o CNVD tem poderes para sancionar os membros que fazem parte da claque. Há indivíduos que foram impedidos de entrar em estádios com uma faixa ou cachecol de uma claque, tudo porque essa claque não estava legalizada. Mas também muitas vezes fecham-se os olhos a outras situações que estão previstas na lei. 'Há preceitos legais que não se cumprem', afirmou Daniel Seabra.
É necessário que se faça aplicar a legislação existente, geral ou específica, adequada ao fenómeno do futebol que movimenta massas e paixões exacerbadas.

Claques. Daniel Seabra refere que se corre o risco de haver identificações arbitrárias a quem não comete incidentes


Fonte: "O Primeiro de Janeiro"