08 fevereiro 2008

Sugestão: SALÃO ERÓTICO - Eros Porto 08


Sexo: Salão Erótico visita o Porto entre 07 e 10 de Fevereiro


O cineasta Sá Leão, pioneiro dos filmes pornográficos em Portugal, apresentou no Porto, o Salão Erótico Eros Porto 08, que se realiza de 07 a 10 de Fevereiro, no Pavilhão Multiusos de Gondomar.

Esta é a primeira vez que este evento, que já vai na sua terceira edição em Lisboa, se realiza no Norte do país.

O organizador do evento é o catalão Juli Simón, criador, com grande êxito, do Salão Erótico de Barcelona, o que o levou a recriar este evento em Buenos Aires, Cidade do México, Lisboa e agora no Porto.

Sá Leão convidou a ministra da Cultura a visitar o Salão Erótico Eros Porto 08.

O cineasta porno referiu que esta é a terceira vez que convida a ministra para eventos deste sector, nunca tendo recebido qualquer resposta.

O realizador considera que "tudo é cultura" e que "o sexo e o cinema pornográfico fazem parte da cultura contemporânea".

"Os nossos filmes pagam impostos para o Ministério da Cultura, por isso também temos direito a reclamar a atenção da senhora ministra", sustentou Sá Leão, que falava durante a apresentação do Eros Porto 08.

A iniciativa, que serve de exposição sobre toda a indústria ligada ao sexo, esteve inicialmente para ser realizado no Centro de Congressos da antiga Alfândega do Porto, mas a organização cedo verificou que o espaço disponível não era suficiente.

"Isto cresceu bastante mais do que pensávamos, pelo que fomos obrigados a mudar para o Pavilhão Multiusos de Gondomar, que oferece excelentes condições para o evento", disse aquele responsável.

Juli Simón frisou que esta será a primeira realização da empresa, este ano, pelo que o Eros Porto servirá como rampa de lançamento de várias novidades que a empresa lançará este ano nos seus festivais.

Assim, o Eros Porto 2008, terá um Consultório Erótico, onde os visitantes poderão apresentar confidencialmente as suas dúvidas sobre a matéria, bem como o espaço Sexy Chat, gerido por um moderador, onde as pessoas poderão conversar com actrizes e actores porno sobre a sua actividade.

"Haverá também a primeira apresentação pública do Sexómetro, um aparelho destinado a medir o potencial sexual de cada pessoa, de forma muito divertida", garantiu Juli Simón.

No Clube Bizarre, a equipa de fetichismo e sadomasoquismo do Eros Porto oferece aos visitantes "performances" diárias de dominadoras, amos e escravos.

O recinto contempla ainda uma sala de cinema, com acesso gratuito, onde serão exibidas as películas porno que fazem sucesso em todo o mundo e retrospectivas temáticas.

Neste espaço, os realizadores e actores deste género cinematográfico promovem apresentações dos seus mais recentes trabalhos e respondem à curiosidade dos visitantes.

Uma das atracções principais será o boulevard erótico, o espaço destinado aos expositores de artigos eróticos de todo o tipo, afrodisíacos, vídeos, livros, revistas, joalharia e artesanato, produtos de aromaterapia, essências e cosméticos.

Neste espaço haverá constantemente shows de strip tease e sexo ao vivo.

"Desta forma as pessoas poderão assistir a estes eventos que têm sempre duração muito curta, entre cinco a dez minutos, e enquanto esperam pelo próximo, continuarão a passear pelos `stands` e a ver os produtos disponíveis", disse Toni Baptista, empresário do sector e co-organizador dos salões eróticos que Juli Simón organiza em Portugal.

A sexóloga Vânia Beliz dirigirá um programa de conferências e debates sobre a temática do sexo que visa proporcionar a todos os visitantes a oportunidade para obter informação especializada e a resposta a todas as dúvidas sobre a sexualidade.

O programa inclui ainda uma exposição do artista plástico Jesper Andersen, um dinamarquês que assentou arraiais no Porto depois de ter estudado em Londres e vivido em Milão.

"A minha obra plástica tem várias vertentes, inclusivamente uma erótica e é esta que será mostrada no Eros Porto 08", disse Jesper Andersen.

Entre os convidados VIP estarão algumas das estrelas da indústria pornográfica internacional, nomeadamente as actrizes Alina Rumena e Melanie Moore (Roménia), Ana Rós, Zara Mae e Sónia Baby (Espanha), Asha Bliss (Eslováquia), Cláudia Claire (República Checa), Dunia Montenegro (Brasil) e Ikea Mori (Itália), entre muitos outras.

Ente estes nomes está a espanhola Sónia Baby, de Alicante, que vem creditada como "acrobata vaginal" e é detentora de vários recordes da especialidade, que vai tentar bater no Eros Porto 08.

As entradas custarão 20 euros, havendo descontos de cinco euros para (...) os maiores de 65 anos.

1ª Liga: MÁFIA VERMELHA - Vitória Guimarães 2-1 Leixões (3)



07 fevereiro 2008

FC Porto: SUPER DRAGÕES - Madureira 1 ano fora das curvas!




MP quer ver líder dos Super Dragões um ano fora de recintos desportivos


O Ministério Público (MP) recorreu da absolvição do líder da claque dos SuperDragões do crime de invasão de recinto desportivo, no decorrer do F. C. Porto-Ovarense, em basquetebol, de 24 de Maio do ano passado, de que foi absolvido em Junho pelo Tribunal de Matosinhos. Argumenta que Fernando Madureira deve ser condenado a quatro meses de prisão, convertidos em quatro meses de trabalho a favor da comunidade, acrescidos da inibição de frequentar recintos desportivos durante um ano. O processo está em recurso no Tribunal da Relação do Porto e ontem decorreu o julgamento. A decisão dos juízes desembargadores será conhecida no próximo dia 13.

Chefe da claque desceu da bancada para acalmar ânimos, disse juíza

O procurador do MP de Matosinhos não colocou em causa a absolvição pelos crimes de resistência e coacção sobre funcionário (agentes da PSP) e ofensas corporais, mas contestou a falta de prova para condenação por ilícito de invasão de recinto. É que, durante escaramuças naquele jogo, o chefe da claque esteve nas imediações do banco de suplentes. E é neste ponto que as posições divergem.

O advogado Nelson Sousa argumentou que, conforme a definição legal, só o perímetro das quatro linhas de jogo pode ser considerado recinto desportivo, enquanto o MP defende que esse conceito estende-se à zona dos bancos.

"Não entrou na área de jogo. Quando muito poderá ter estado na zona do perímetro de segurança à área desportiva. Mas isso aconteceu porque ele é o líder da claque e estava a apaziguar os ânimos", sustenta o causídico de "Macaco", como é conhecido nos SuperDragões, "que são uma associação constituída sob normas de Direito", vincou o advogado.

O defensor de Madureira acrescenta ainda que, ao contrário do que é argumentado pelo MP, o dirigente "tinha autorização para estar na zona por trás dos bancos", dada por Fernando Sousa, elemento da empresa PortoEstádio, organizadora dos jogos. "Não tinha credencial simplesmente porque nos jogos de modalidades não existe".

Se Madureira for condenado a quatro meses de trabalho a favor da comunidade, poderá sofrer a sanção acessória de proibição de frequentar recintos desportivos durante um ano. A decisão será conhecida dia 13.


Fonte: Jornaldenotícias

06 fevereiro 2008

Lei 16/2004: FÚRIA CENSURADA - Belenenses 1-0 Sporting (4)


Todos, ou pelo menos todos deveríamos saber que o grupo organizado do Restelo não tem passado pelos melhores dias. Este ano a repressão instalou-se na bancada de tal forma que já se passaram situações que até então eram totalmente impensáveis.

Como é óbvio, a vergonhosa lei 16/04 em tudo tem contribuído para o estado actual da Fúria que resiste a todo o "pressing" de uma lei que o grupo tem considerado desajustada à realidade e que obriga a uma legalização forçada mediante moldes que não se identificam com a maneira de estar da Fúria Azul.

Refira-se que a posição do grupo não é estar contra a legalização mas sim a favor de uma lei estabelecida que seja adequada e que tenha sentido prático nas várias questões problemáticas, mas respeitando sempre a liberdade e a igualdade de cada adepto.

Contudo, o excesso de zelo e de autoridade que o grupo tem vivido pode fazer com que as coisas funcionem pior e não será à força nem fazendo pressão para que as claques no geral se legalizem que o problema será resolvido.

E qual é o papel dos clubes no meio disto tudo? A Lei é tão ridícula que proíbe os grupos e claques de apoiar? O que seria do desporto sem Adeptos?

De resto, por ser uma matéria muito vasta, esta problemática da legalização já foi falada e continuará na boca de muita gente e muito provavelmente cada um de nós terá a sua própria opinião .

No entanto, o que faz pensar à primeira vista é que foi criada para defender os interesses de alguém mas nunca os direitos dos adeptos.

A Fúria Azul já passou, este ano, por situações de censura e discriminação em vários recintos desportivos, onde foi proibida a entradas de material alusivo ao grupo, algo que não consta em qualquer lei nacional.

Visto que é essa a forma de pressão encontrada pelas forças de segurança, o passado Domingo não fugiu à regra - A coreografia realizada pela Fúria Azul teve que ter o avalo da direcção do Belenenses e consequentemente da policia antes de ser apresentada no jogo frente ao Sporting. Até aqui tudo correcto visto já não ser a primeira vez que tal acontece.

Após a divulgação do desenho (ao clube e à policia) a Fúria foi surpreendida pelo facto de não poder usar no escudo da coreografia, a palavra "Fúria Azul". Claro que, inconformados, os membros da FA tiveram que optar por remediar a situação e substituir a palavra por "Belenenses".

Resta saber o porquê desta censura e a quem manifestar o nosso protesto? O porquê de ser impedida a entrada de material alusivo ao grupo em alguns recintos desportivos e outros não? Onde e em que leis a policia se baseia para impedir tal coreografia não sendo esta de maneira nenhuma provocatória ou xenófoba?
Qual o fundamento e a real intenção das Força de Segurança?

Todas estas questões com toda a certeza vão continuar sem resposta (...)

BASTA!



1ª Liga: SUPER DRAGÕES E COLECTIVO 95 - FC Porto 4-0 U. Leiria (1)



1ª Liga: WHITE ANGELS e MÁFIA VERMELHA - Vitória Guimarães 2-1 Leixões (2)







Hóquei: KAOS BARCELENSE E ULTRAS VALONGO - OC Barcelos 5-3 Valongo




1ª Liga: JUVE LEO, DUXXI, TORCIDA, BRIGADA e FÚRIA - Belenenses 1-0 Sporting (4)





05 fevereiro 2008

Benfica: GULLIT (NN) em "História devida" da Antena 1


HISTÓRIA DEVIDA

"Split, Croácia, 14 de Setembro de 1994", de Paulo Jacinto Uma história que nos leva até ao seio de uma claque de futebol, os No Name Boys. É uma história triste que sublinha o espírito que alguns adeptos de futebol têm...


1ª Liga: MÁFIA VERMELHA - Vitória Guimarães 2-1 Leixões (1)


04 fevereiro 2008

1ª Liga: NO NAME BOYS - Benfica 0-0 Nacional (2)


1ª Liga: BRIGADA - Belenenses 1-0 Sporting (3)




1ª Liga: PANTERAS NEGRAS - Boavista 4-3 Paços de Ferreira


1ª Liga: NO NAME BOYS - Benfica 0-0 Nacional (1)


1ª Liga: COREOGRAFIA FÚRIA AZUL - Belenenses 1-0 Sporting (2)


03 fevereiro 2008

Espanha: CONFRONTOS ENTRE BIRIS+RIAZOR vs SUPPORTERS - Bétis 0-1 Depor.


VÁRIOS FERIDOS E CARROS QUEIMADOS ANTES DO BETIS-DEPOR

Os confrontos de adeptos que antecederam o encontro entre Betis-Deportivo provocaram momentos de pânico nos arredores do Estádio Ruiz de Lopera, em Sevilha. Os serviços médicos foram chamados para assistir os feridos –alguns tiveram de ser transportados de ambulância –, houve quatro detenções e dois automóveis estacionados no local acabaram queimados. Segundo fontes policiais citadas pela edição on-line da “Marca”, os incidentes registaram-se a partir das 18 horas na Rua Tajo, local habitual de confrontos entre adeptos, sobretudo quando o Betis defronta o eterno rival Sevilha.

Fonte: Record


1ª Liga: BRACARA LEGION e RED BOYS (Frase) - E. Amadora 1-1 Braga