07 dezembro 2008

III Divisão: INCIDENTES ENTRE SS E A POLÍCIA - Lusitano Évora 2-0 Farense



Agente da PSP ferido em desacatos com adeptos do Farense

Polícia foi atingido por uma pedra e teve de receber assistência hospitalar.



Um agente da PSP de Évora ficou ferido na cabeça, depois de ter sido atingido com uma pedra, durante desacatos que terão envolvido adeptos do Farense, revelou uma fonte policial à Agência Lusa. O polícia teve mesmo de receber assistência hospitalar.

Os incidentes ocorreram no final da partida entre o Lusitano de Évora e o Farense, da 12ª jornada do Campeonato Nacional da 3ª Divisão - série F, ganha pelos anfitriões (2-0). Segundo a fonte citada, tudo aconteceu após a polícia ter identificado o líder da claque South Side Boys: «Os adeptos, quando abandonavam as bancadas, arremessaram pedras aos polícias e daí resultou o ferimento no agente. Durante todo o encontro, houve provocações entre os adeptos das duas equipas, com o arremesso de moedas e isqueiros.»

O caso será investigado, já que a polícia pretende encontrar os autores dos desacatos e apurar quem atirou as pedras.

O presidente do Lusitano de Évora, António Brito, explicou, à Agência Lusa que «os adeptos do Farense, quando entraram no recinto, ocuparam a tribuna principal», acrescentando: «Como tinham bilhete de peão, pediu-se para as pessoas serem deslocadas, mas a polícia, com poucos efectivos, teve alguma dificuldade em tirar dali as pessoas.»

O dirigente apontou que a «polícia actuou bem porque usou o bom senso», não tendo recorrido ao uso de força.


Fonte: Lusa



Testemunho de um Ultra Farense presente em Évora



Vou aqui deixar o testemunho do que passou em Évora na tarde de domingo antes, durante e pós o jogo Lusitano de Évora - Farense. Sou um Ultra anónimo do Sporting Clube Farense, anónimo porque sei que o blog está a ser constantemente monitorizado pelo sistema.

Factos: Chegada ao novo complexo desportivo do Lusitano às 14.15 do dia 7 de Dezembro, num autocarro com 45 ultras

-Entrada no campo às 14.30 com bilhetes de cartão jovem de 3,5€, nesse momento uma grande chuvada abateu sobre o local.

-Ultras refugiam-se na cobertura da tribuna da única bancada, local usado para a imprensa e sistema de som do campo.

-Observei que o responsável pelo policiamento era uma sub-chefe, enquanto a colocação de faixas já gritava com os ultras para eles saírem do local de abrigo da chuva.

-Depois das ameaças da mesma senhora em intervir na equipa de arbitragem com o objectivo de adiar o começo de jogo por falta de condições de segurança, os Ultras, depois da chuva abrandar, cederam.

- Recolocação de uma faixa, e nova posição dos Ultras na bancada, imediatamente atrás do banco de suplentes do Sporting Clube Farense.

- Começo do jogo às 15h, devido a pressões de alguns supostos sócios do Lusitano, a sub-chefe exige aos ultras para não colocarem os pés em cima das cadeiras de plástico.

- Ultras ignoram e apenas concentram no apoio vocal à equipa.

- A sub-chefe ameaça que ao intervalo colocará os ultras num local do estádio, nem que levasse um a um.

- Os elementos policiais passaram de 4 antes do jogos a 16-18 até ao intervalo, incluindo secção de transito e elementos de investigação criminal.

- Até ao fim do jogo, 2 ultras foram os da bancada, sem qualquer motivo e usado uma táctica do engano: a sub-chefe pede para falar com um ultra e depois de transpor a barreira policial e isolado do grupo, é colocado fora da bancada.

- A mesma senhora usou um comportamento inexperiente, agressivo, autoritário, desrespeitoso, desleal e traiçoeiro.

- Fim do jogo às 16.55, nenhum comportamento violento foi visto nos ultras do SCF, guardadas as faixas e todo o material, caminhamos para o autocarro.

- Pela mesma forma de deslealdade a mesma Sub-chefe, detêm um ULTRA, forçando a entrada num carro da PSP e deslocando-se a alta velocidade levou para a esquadra.

- Houve depois alguma confusão, e na mesma um elemento policial não fardado agride (acidentalmente) outro elemento policial não identificado com um bastão flexível, toda esta situação, a sub-chefe, não esteve presente, deixando os seus homens sem comando no local.

- Saída de Évora com todos os Ultras às 18.00.



Fonte: PORTUGAL ULTRAS

Ver FOTOS... AQUI

3 comentários:

Anónimo disse...

Saudações,

Vou aqui deixar o testemunho do que passou em Évora na tarde de domingo antes, durante e pós o jogo Lusitano de Évora - Farense. Sou um Ultra anónimo do Sporting Clube Farense, anónimo porque sei que o blog está a ser constantemente monitorizado pelo sistema.

Factos: Chegada ao novo complexo desportivo do Lusitano às 14.15 do dia 7 de Dezembro, num autocarro com 45 ultras

-Entrada no campo às 14.30 com bilhetes de cartão jovem de 3,5€, nesse momento uma grande chuvada abateu sobre o local.

-Ultras refugiam-se na cobertura da tribuna da única bancada, local usado para a imprensa e sistema de som do campo.

-Observei que o responsável pelo policiamento era uma sub-chefe, enquanto a colocação de faixas já gritava com os ultras para eles saírem do local de abrigo da chuva.

-Depois das ameaças da mesma senhora em intervir na equipa de arbitragem com o objectivo de adiar o começo de jogo por falta de condições de segurança, os Ultras, depois da chuva abrandar, cederam.

- Recolocação de uma faixa, e nova posição dos Ultras na bancada, imediatamente atrás do banco de suplentes do Sporting Clube Farense.

- Começo do jogo às 15h, devido a pressões de alguns supostos sócios do Lusitano, a sub-chefe exige aos ultras para não colocarem os pés em cima das cadeiras de plástico.

- Ultras ignoram e apenas concentram no apoio vocal à equipa.

- A sub-chefe ameaça que ao intervalo colocará os ultras num local do estádio, nem que levasse um a um.

- Os elementos policiais passaram de 4 antes do jogos a 16-18 até ao intervalo, incluindo secção de transito e elementos de investigação criminal.

- Até ao fim do jogo, 2 ultras foram os da bancada, sem qualquer motivo e usado uma táctica do engano: a sub-chefe pede para falar com um ultra e depois de transpor a barreira policial e isolado do grupo, é colocado fora da bancada.

- A mesma senhora usou um comportamento inexperiente, agressivo, autoritário, desrespeitoso, desleal e traiçoeiro.

- Fim do jogo às 16.55, nenhum comportamento violento foi visto nos ultras do SCF, guardadas as faixas e todo o material, caminhamos para o autocarro.

- Pela mesma forma de deslealdade a mesma Sub-chefe, detêm um ULTRA, forçando a entrada num carro da PSP e deslocando-se a alta velocidade levou para a esquadra.

- Houve depois alguma confusão, e na mesma um elemento policial não fardado agride (acidentalmente) outro elemento policial não identificado com um bastão flexível, toda esta situação, a sub-chefe, não esteve presente, deixando os seus homens sem comando no local.

- Saída de Évora com todos os Ultras às 18.00.


Agradeço a divulgação

Anónimo disse...

curto estes gajos!!

voces nao desistem..estes sim sao ultras


ACAB

Abraço de Coimbra
Ultras85

Anónimo disse...

Honra aos South Side SS!
Estão na III divisão e dão sempre grande apio e são mobilizados.
Orgulho ULTRA

Enviar um comentário